sexta-feira, 16 de junho de 2017







ausa


Se cedo à escrita a obscura raiz de uma escuridão infértil
É porque um grito profundo raramente se esvaece num ruído inerte

terça-feira, 30 de maio de 2017




esânimo


Da descrença e das suas invisibilidades ocupam-se os passos das sombras



sexta-feira, 21 de abril de 2017

éspera


Caminharei aleatoriamente pela cronologia do tempo não datado
Outrora alterando a pressuposta prê-existência
Abreviando a distância que determina minha espera
Passando a contar o tempo em vésperas 

domingo, 9 de abril de 2017


ilenciosamente


Seriam silenciosos os Séculos sem tua voz
Seriam ensurdecedores os silêncios sem vez

domingo, 2 de abril de 2017







remonição


Quando as luas se alinharem, convergindo num só eixo
E as sombras se ocultarem, no interior de um eclipse
Um rumor abrirá os céus
Removendo das vozes as trevas
Aquietando as tempestades que muram o mundo

sexta-feira, 16 de setembro de 2016




 
literação


Sair sempre silente do sonho sumido, sumindo, sussurrando em silêncio o desalento
Depois descender devagar, desnorteadamente, à dispersa divagação do verso

quinta-feira, 1 de setembro de 2016





elancolia


Na demasia todo o tempo é escasso

domingo, 19 de junho de 2016


ensidade

Pesa o passo mais que seu próprio peso
Pesa o passo dado e o que ainda nem se deu

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016





 
usência


Não são os Séculos que nos formam numa narrativa de irremediável ausência
É a divergente equação de uma incerteza caminhando contra o esquecimento

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016






isibilidade


Se o horizonte é o limite (da tua visibilidade)
Prolonga-te para além das formais visíveis