segunda-feira, 23 de novembro de 2015







repitar


Um incêndio arde em silêncio

1 comentário:

  1. Um incêndio ardendo “em silêncio”, crepita.
    Crepita porque é ténue, praticamente sumido; embora fogoso, quente, inquieto no seu movimento crepitante, fazendo-se escutar sem alarido, mas fazendo-se sentir dentro de nós (porque só dentro de nós um incêndio pode crepitar em silêncio).
    Crepita a comoção, feita faíscas; crepita o desejo, aplacado de chamas largas, longas, impetuosas; crepita o incêndio do que foi, mas que prossegue, furtivamente, ardendo em surdina.
    Crepita porque ressalta, porque nos solta ao nos elevar, e porque nos queima (ainda que “em silêncio”).

    C.M.

    ResponderEliminar